sábado, 27 de outubro de 2018

O ROSTO ILUMINADO



O ROSTO ILUMINADO



Uma pessoa que é meticulosa em honrar outras pessoas descobrirá que todos os portões estão abertos para ele. Ele terá sucesso em esforços materiais e espirituais ...

Um dos conceitos mais acordados na humanidade, independentemente de idade, sexo, religião ou nacionalidade, é que uma pessoa está se esforçando apenas para uma coisa: viver uma vida boa e doce. Uma pessoa merece uma vida genuinamente boa quando é gentil com os outros e lhes traz alegria. Quando ele é um agente do bem, sua vida é boa, pois o Criador comanda o mundo em uma base por voltas e voltas. O que você dá a outras pessoas é exatamente o que o Criador lhe dará.

Qualquer um pode alcançar essa boa vida, pois todo o conselho da Torá está ao alcance da mão, na proximidade de uma pessoa. Quando uma pessoa realmente quer algo, é atingível – quanto mais o desejo, mais próximo fica. Portanto, por desejo, a pessoa se coloca ao alcance da boa vida, como veremos na continuação deste panfleto, com a ajuda do Todo-Poderoso.

 Um dos grandes eruditos castigou seu aluno e chamou-o de "um abismo ameaçador (um jogo Hebraico sobre palavras com imbecis) no domínio público". O aluno não entendeu o dano que estava causando a alguém. Sua professora disse: "Você andou na rua com uma expressão de raiva no rosto. Seu rosto não é só seu, porque está no domínio público para todo mundo ver. Um rosto tão azedo pode causar danos às pessoas; neste respeito, é como um buraco aberto no domínio público que também pode causar danos às pessoas. Em vez de olhar para os passageiros com um rosto que está quase espumando pela boca, cumprimente-os com um semblante iluminado, com um sorriso, seu rosto aumenta o amor no mundo ". Por esse motivo, é importante sorrir para todos. Cumprimente as outras pessoas com alegria. Diga olá para eles ou, pelo menos, acene com a cabeça em reconhecimento educado. Nunca ignore uma pessoa ou olhe através dele como se ele fosse ar. Se um estranho chegar à sua Sinagoga, diga-lhe: "Bem-vindo! Como você está?" Uma pessoa que é meticulosa em honrar outras pessoas descobrirá que todos os portões estão abertos para ele. Ele terá sucesso em esforços materiais e espirituais, pois nada faz o Criador tão feliz como uma pessoa que faz as outras pessoas felizes. Como tal, essa pessoa recebe uma porção generosa da abundância Divina.

Uma pessoa que anda por aí com um sorriso no rosto revitaliza outras pessoas. Pode ser que um indivíduo deprimido esteja pensando em suicídio porque, em seu desespero, ele acha que não tem nada para viver. De repente, a pessoa deprimida conhece o Senhor Sorriso. O sorriso transmite a mensagem de que ele não é apenas amado, mas vale alguma coisa também! Aquele sorriso salvou uma vida e impediu um suicídio - um sorriso!

Quando sorrimos, Hashem sorri para nós. Bênçãos, vitalidade e abundância fluem para o mundo. O Rebe Nachman de Breslev ensina que quando Hashem sorri, a boa sorte vem ao mundo (Likutei Moharan I: 172). Se queremos que Hashem sorria para nós, também temos que sorrir, porque o mundo funciona com base em medida por medida. Então, se sorrimos, o Todo-Poderoso sorri de volta, e isso significa uma iluminação de todos os tipos de abundância.

Por: Rabino Shalom Arush

domingo, 2 de setembro de 2018

Nós precisamos fazer as coisas junto com o Tsadic




Precisamos que o verdadeiro Tsadic para conseguirmos chegar em algum lugar, espiritualmente

Um shiur que foi dado na quarta-feira à noite de Parshat Ki Tetzae, (22 de Agosto de 2018), depois das orações da manhã.

É IMPOSSÍVEL REALIZAR QUALQUER NÍVEL ESPIRITUAL, EXCETO SEGUINDO O CAMINHO DO TSADIC HAEMET (O VERDADEIRO TSADIC).

Tudo o que uma pessoa tenta fazer sem o tsadic - está escrito na página 22 de Ki Tisa - é semelhante a agir como um mágico, um feiticeiro e como um Cuthite. Uma pessoa é chamada de goy, um feiticeiro quando tenta fazer as coisas sem o Tsadic.

Quando ele está sem o Tsadic, ele está apenas operando com suas próprias habilidades naturais. Uma pessoa vem a este mundo para ter livre arbítrio e escolher o bem.

Mas é impossível merecer isso [isto é, escolher o bem] a menos que ele se aproxime do Verdadeiro Tsadic.

E este é o segredo, porque todo mundo viaja para Uman: é para receber um novo nível de bechirah (capacidade de escolha). Ser capaz de escolher apenas o bem.

A partir do momento em que uma pessoa chega a Uman, sua mente já está sendo completamente limpa. Ele não tem mais nenhum pensamento ruim e merecerá ver Hashem face a face e ver a geula shleima (redenção completa).

Do website de Shuvu Banim International, de Rabbi Eliezer Berland shlit"a.

Website:

domingo, 19 de agosto de 2018

O Pote Fervente [Ensinamentos de Rabino Nachman]



Quando uma pessoa começa a servir a Deus e se aproxima de um verdadeiro Tzadic, ele é frequentemente preenchido com pensamentos negativos e agitação interna.

Isto é como um pote de água que inicialmente parece bastante limpa, mas assim que é colocado no fogo e começa a ferver, todas as impurezas começam a surgir. Alguém tem que ficar lá constantemente removendo a espuma e as impurezas.

No início, a água parece perfeitamente limpa, mas à medida que se aquece, mais e mais impureza aparece na superfície. Finalmente, no entanto, quando toda a impureza é removida, a água é verdadeiramente pura e limpa.

O mesmo é verdade para uma pessoa. Antes de começar a servir a Deus, o bem e o mal estão totalmente misturados nele – tanto de forma que o mal e impureza é nem mesmo discernível. Mas quando ele começa a tentar servir a Deus e se aproxima de um verdadeiro Tzadic, ele inicia o processo de limpeza e purificação. Cada vez mais o mal e impurezas sobem à superfície.

Aqui também é preciso ficar constantemente removendo a sujeira e as impurezas que aparecem, até que no final a pessoa esteja verdadeiramente pura e limpa.

Inicialmente uma pessoa está totalmente imersa no material. Quando ele começa a se aproximar de Deus, pode parecer que seria possível remover toda essa sujeira e impureza de uma só vez. Mas sua mente está tão misturada com essa lama que, se fosse removida de uma só vez, ele poderia perder a cabeça com ela também.

A pessoa deve ser muito paciente até que pouco a pouco a pessoa fica completamente pura.

Sichot Haran #79

Do livro The Essential Rabbi Nachman por Azamra Instituite.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Porção da Torá - O Bezerro de Ouro




Porção da Torá, Ki Tisa (Êxodo 30: 11-34: 35).

O Bezerro de Ouro

O jogo da inclinação do mal é adoçado com a ajuda do Céu, mas em nossos tempos modernos, é uma lição que podemos aprender na Torá.

Moshê Rabeinu atrasou a sua vinda da montanha, e o povo se levantou contra Aarão, dizendo: "Vamos lá! Faza-nos deuses que irão diante de nós ..." - Moshê Rabeinu em seu retorno, não aceitou as ações do povo e as tábuas quebraram. Moshê Rabeinu mais uma vez intercedeu e pediu a HaShem que perdoasse o povo e, assim, as novas tábuas tiveram luz diminuidas.

O que podemos aprender dos altos feitos do grande patriarca? Existe um entendimento ilimitado em agir em todos os momentos da vida e, em primeiro lugar, pedir ao Mestre do Universo que volte tudo para o bem. O começo é saber como perdoar alguém e, em segundo lugar, compartilhar os ensinamentos da Torá, na esperança de aumentar a consciência das pessoas para se aproximar de Deus, o que envolve um conjunto de melhorias de compromisso e comportamento neste mundo.

Há eventos pessoais e aqueles que podemos ver no Facebook os depoimentos que estão acontecendo com outras pessoas, problemas de todos os tipos, financeiro, saúde, etc, há muito o que processar em nossa mente, nunca é tarde demais para aprender as lições da vida, quanto mais estivermos unidos [Devekut] com HaShem, mais para o bem iremos.

Há retificação pessoal e há retificações coletiva, se Deus quiser, podemos fazer a Vontade do Altíssimo e obter retificações surpreendentes.

Rambam z"l traz as "Leis dos Vizinhos", se cinco jardins recebem água de uma nascente e a nascente seca, todos eles devem consertá-la com a parte superior (Sha'ar Hagilguum, capítulo 13).

Gilson Sasson.

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Apego ao Tsadic




É muito bom se ligar a um verdadeiro Tsadic. Nas turbulências no tempo da vinda do Mashiach, Deus “a partir do qual se pudesse espalhar por toda a terra e dela afastar os ímpios” (Jó 38:13). Mas quem está ligado a um verdadeiro Tsadic será capaz de se agarrar a ele para não ser rejeitado com os ímpios. Ao segurar o Tsadic, ele permanecerá firme.

Sichot Haran #22

Do livro The Essencial Rabbi Nachman, publicado por Azamra Institute.

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Copas do Mundo ou Salvar Vidas?



Copas do Mundo ou Salvar Vidas?

Mesmo que alguns seres humanos não se importam pela Natureza, a Natureza se importa pelo ser humano.

A devastação de grandes áreas verdes, a poluição nos mares, no solo, no ar é a prova que os homenzinhos ainda não sabem viver em equilíbrio ao meio que se envolve.

Vivemos numa era primitiva, onde os governos mundiais de grandes nações tem tudo, enquanto outros países pobres encara falta de comida, saúde, ensino.

Milhões de dolares são gastos em todas as Copas do Mundo, enquanto muitas crianças e familias pobres ficam sem apoio de ajuda internacional, há alguma ajuda mas é muito pouco, a conduta da humanidade ainda falta humanidade.

Não faz sentido, se divertir, um entreterimento mundial, sabendo da estrutura precaria de muitos países pobres. Até mesmo países emergentes, como o Brasil que saiu da categoria de terceiro mundo, há problemas sociais graves.

A conduta da humanidade ainda carece de humanidade.

O Grande Olho está nos observando.

GilsonSasson